Arquivo de novembro \16\UTC 2009

Diferentes esferas de uma mesma computação

Diante do tempo que sempre passei operando um computador, as pessoas sempre associaram minha imagem a um técnico de informática. Uma coisa que não sou, nunca fui e nem pretendo ser.

De fato, sempre resolvi os problemas no computador por mim mesmo, no início de forma totalmente intuitiva e posteriormente usando a experiência adquirida.

Experiência não é conhecimento, informação, de certo modo.

Experiência é muito útil, fornece solução para uma enorme gama de problemas, mas não todos. Alguns problemas só podem ser resolvidos quando se faz uma engenharia reversa de um sistema, conhecendo assim suas relações de causa e efeito.

De todas as vezes que me chamaram para resolver problemas em computadores, 80% eram para um mesmo problema.  Um problema a nível de software. Um problema chamado Windows.

Microsoft Windows sempre foi um sistema relativamente intuitivo, amigável e fácil de usar. Tudo muito mágico durante a experiência. Consideremos aqui o Windows XP. Meu sistema até hoje, depois de cerca de 10 anos de uso.

Seu código fonte é mantido em segredo a 7 chaves, sendo que somente uma pequena parte foi liberada por motivos de força maior AKA tirania contra o monopólio. Mas isso não impede que tenhamos uma noção das relações de causa e efeito do sistema.

Porém, algumas causas sempre estarão sob as sombras. Soluções para esses problemas (quando) são encontradas em sites de busca ou fóruns de informática.

Voltemos as esferas da computação.

Ter habilidade e experiência para resolver problemas de informática não significa ter habilidade para invadir sistemas, roubar arquivos ou senhas, etc. Minha imagem sempre foi, erroneamente, associada a imagem de um hacker.

Um hacker combina, principalmente, habilidades e conhecimentos de internet e programação. Falta-me habilidades em programação, que são quase que completamente ausentes.

Logo se notam algumas esferas:

  1. Resolução de problemas a nível de software.
  2. Programação
  3. Internet

No caso do Windows XP, por exemplo, não é necessário nenhum conhecimento de programação para a Resolução de problemas a nível de software. 99,99% desses problemas podem ser resolvidos usando as interfaces já programadas. Interfaces essas do próprio sistema ou de terceiros. Enfim, voltemos ao assunto principal.

Computação não se trata de uma coisa só. Assim como existem especialidades como dermatologia e psiquiatria, existem diferentes áreas de conhecimento quando se trata de computadores.

Tudo isso sem citar nem mesmo os outros sistemas operacionais e distribuições do kernel Linux como Ubuntu, Kubuntu, Edubuntu, Kurumin, etc.